>A gente sempre volta…

>

No final de “O Mágico de Oz”,Dorothy diz:”Se eu decidir novamente procurar o que o meu coração deseja,não sairei do meu quintal,porque,se não estiver lá,eu nem o terei perdido,para começo de conversa”.
O lar é uma profunda necessidade e preocupação humana.Na infância,precisamos da segurança e do amor que ele dá.Nas horas difíceis, ansiamos pelo retorno ao lar.A saudade de casa pode ser universal,mas o lar de cada indivíduo é único e insubstituível.
O lar pode ser onde mora o coração,mas temos de deixá-lo um dia para crescer e tocar a vida.
Li uma  lenda,no livro das Histórias sobre Vidas Anteriores de Buda, sobre um jabuti que se recusava a deixar sua confortável morada às margens do de um lago,mesmo sabendo que,um dia, toda aquela água secaria.
Quando sobrevém um período de forte calor, ele insiste em não arredar pé do local:Nasci aqui,cresci aqui e aqui é a casa dos meus pais.Não posso ir embora.” O jabuti fez um buraco para se esconder,mas é morto por acidente quando o futuro Buda cava para encontrar argila.
Antes de expirar,o jabuti diz:
“Vai para onde possas encontrar felicidade,seja qual for o lugar:
Floresta ou vilarejo,lá os sábios enxergam a cidade natal e o lar;
Vai para onde há vida: não fiques em casa para a morte te dominar.”
O ideal é deixar o lar,seguir os sonhos e depois voltar enriquecido com a experiência.

Fonte:Atlas da Experiência Humana
Anúncios

6 Respostas para “>A gente sempre volta…

  1. >EmilinhaAdorei o textoCom sua licença vou repassar pra minha lista, com o teu link.A música também é perfeita.Enfim, fico muito a vontade por aqui.Beijinho

  2. >Zizi querida,use a abuse,a casa tbem é sua.Lhe enviei os dados,a editora do livro onde tirei esta postagem:vc vai adorar,já que trabalha com as emoções humanas.Faz tempo que imaginamos a vida como uma viagem, mas faltava um atlas que nos orientasse.Leia o meu email e se não encontrar me avise que faço questão de lhe enviar como uma lembrança.Fique mesmo a vontade "casa de mineiro é assim, uai"!Sempre cabe mais um, e pessoas como vc quero sempre ter por perto, entendeu?Beijos…Emilinha

  3. >MilinhaSabe, sempre sai em busca de coisas, pessoas, paz, harmonia,felicidade…Depois de muito andar e tropeçar , de volta a minha casa, encontrei tudo o que queria .Acho que o tempo me deu o tempo exato para essa descoberta…e isso me deixa extremamente feliz!!!bjusLaurinha

  4. >Menina,acabei de passar em sua casa.Adorei o azul,pois é minha cor prferida.Ficou lindo e suave.Eu sei como é, pois minha caminhada tbém foi longa..As vezes íngreme,fácil,cansativa,mas hoje me sinto vitoriosa.Valeu a pena,sabia?Hoje me conheço melhor,os meus valores são outros e passei a dar mais valor às coisas que passavam despercebidas por mim.Beijos….nos filhos tbém.Emilinha

  5. >Minha QueridaNão sei o que se passa com os nossos blogs…curiosamente é só contigo!Fui ver os seguidores e defacto não vejo lá a minha foto…tentei colocá-la de novo e apareceu o seguinte: O proprietário deste site proibiu a sua adesão!!! Deve ser alguem que te quer muito bem…ou a mim!! Mistérios que não entendo!Beijocas e bom fdsGraça

  6. >Que belo texto, Emilinha. Deixar nossa terra, nossa casa, nosso lar, muitas vezes é preciso. Costumo dizer que a minha casa, o meu lar, o meu Estado, o meu país, é onde estou trabalhando bem e feliz. Aí, é a minha pátria. Por outro lado, retornar as nossas origens, a nossa terra natal, nossa casa amadurecida é tudo de bom!! Adorei sua reflexão. Um bom final de semana, obrigada pela linda poesia que deixastes em meu blog de Drummond. Amei. Beijos 😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s